Informa Economics IEG | FNP is part of the Business Intelligence Division of Informa PLC
This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726
Informa



Imprensa

Receba nossa Newsletter



Brasil e China expõem dificuldades e caminhos nas relações comerciais

10/09/2018 - Brasil e China expõem dificuldades e caminhos nas relações comerciais

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, e o embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang, mostraram nesta quinta-feira (6) como são árduas as negociações comerciais entre dois países.

A China, principal parceira do Brasil na área agropecuária, dificulta a entrada de alguns produtos brasileiros. Em alguns casos, como os da carne de frango e do açúcar, colocam pesadas taxas nas importações, o que está levando o Brasil a entrar na OMC (Organização Mundial de Comércio).

No seminário Brasil-China, realizado pela Folha em São Paulo, Maggi disse que a China não é um país aberto e que ela regula os mercados.

Após a participação no seminário, o ministro brasileiro afirmou à imprensa que existe uma má vontade dos chineses com relação às questões brasileiras. Segundo ele, ao menor risco, os chineses fecham seus mercados.

“Quando eles querem comprar, compram. Quando a gente quer vender nem sempre é possível.”, disse o ministro. Ele citou o caso da soja, bem aceita, e o das carnes, que encontram dificuldades.

Durante o seminário, o embaixador chinês disse que o país está trabalhando para abrir os mercados, mas é necessário um esforço conjunto para isso.

Se referindo ao açúcar, Li deu os motivos da reação chinesa ao produto brasileiro. São pelo menos 4,7 milhões de produtores de cana no país, que têm uma produtividade bem abaixo da obtida no Brasil. “Eles não conseguem competir,” disse.

Para ele, “a responsabilidade de um governo é proteger os produtores de seu país”. A China não fecha as portas, mas protege o mercado interno, afirmou.

Apesar das reclamações contra a China, Maggi apontou que parte dos empresários brasileiros também adota a mesma postura. Ele citou um exemplo. Há uma negociação para a entrada de pera chinesa no Brasil, em troca de melão e de melancia. Os produtores brasileiros de maçã, porém, se opõem.

Para o ministro, há uma dificuldade muito grande em se fazer acordos. Empresas e produtores precisam se adequar.

Maggi adverte também que os brasileiros precisam entender mais a China. O país asiático não está mais no estágio de há uma década. Agora eles querem produtos de qualidade e, muitas vezes, os empresários brasileiros não percebem isso.

“O não respeito à qualidade e àquilo que está no contrato faz o Brasil perder preferências no mercado da China”. Os brasileiros reclamam que o país asiático não abre o mercado, mas é preciso que aqui também se faça a lição de casa, afirma.

Nesse imbróglio entre americanos e chineses, a conta pode sobrar para o Brasil. Segundo o ministro, a soja cai em Chicago e sobe no Brasil, devido às compras chinesas. Isso significa menos custos para os produtores de ração e de proteína nos Estados Unidos, mas mais elevação no Brasil. O país perde competitividade.

Os chineses mencionaram durante o seminário da Folha a possibilidade de elevar a compra de produtos de maior valor agregado. O ministro brasileiro disse, na entrevista à imprensa, que poderiam começar por cotas de farelo e de óleo de soja, já solicitadas pelo Brasil.

 

Fonte: Folha de São Paulo adaptado pela IEG FNP

Compartilhe:

Índice

Consultoria
Projetos que englobam aspectos socioeconômicos, mercadológicos, técnicos e comerciais da atividade agropecuária.
Business Intelligence
Estudos de pesquisas de mercado, análises setoriais e competitivas.
Palestras
Confira as últimas apresentações dos analistas da Informa Economics FNP sobre as diversas áreas e segmentos do agronegócio.
Publicações
Anuários, boletins e relatórios em português e inglês.
Quem Somos | Pecuária | Grãos | Açúcar/Etanol | Terras | Insumos | Anualpec | Agrianual | Imprensa | Consultoria | Business Intelligence | Palestras | Publicações

Informa Economics IEG | FNP

Rua Bela Cintra, 967, 11º. Andar - CEP: 01415-000 São Paulo/SP - Brasil
Tel.: + 55 11 4504-1414 / 3017-6800 Fax: + 55 11 4504-1411