Informa Economics IEG | FNP is part of the Business Intelligence Division of Informa PLC
This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726
Informa



Imprensa

Receba nossa Newsletter



Agricultura teve o Plano Safra possível, mas produtor quer mais recurso para seguro rural

07/06/2018 - Agricultura teve o Plano Safra possível, mas produtor quer mais recurso para seguro rural

Diante de tanta falta de recursos nos cofres federais, a agropecuária recebeu do governo, nesta quarta-feira (6), o Plano Safra que foi possível.

Os agricultores perderam no volume total, que nem acompanhou a taxa de inflação, mas conseguiram uma redução das taxas de juros de até dois pontos percentuais em alguns dos programas de apoio federal à agropecuária. A taxa de juros ficou, em média, em 7%.

O volume total de crédito foi de R$ 191,1 bilhões. Destes, R$ 151,1 bilhões são de créditos destinados ao custeio e R$ 40 bilhões para investimentos. Do montante de crédito de custeio, R$ 118,8 bilhões são com juros controlados e R$ 32,3 bilhões com juros de mercado.

O governo reservou ainda para a próxima safra R$ 2,6 bilhões para apoio à comercialização e R$ 600 milhões para seguro rural. No total, o volume de recursos para a agropecuária soma R$ 194,3 bilhões, valor que estará disponível a partir do início de julho.

A taxa de juros para o pequeno e médio produtores recuou para 6%. Para os demais, fica em 7%. A maior taxa, a de investimentos no Moderfrota, fica entre 7,5% e 9,5%. A menor, que contempla a construção de armazéns de até 6.000 toneladas, é de 5,25%.

Antonio Galvan, presidente da Aprosoja-MT (Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Groso), diz que não concorda com os juros acima da Selic. Ele destaca, no entanto, que a taxa de 5,25% para pequenos e médios produtores construírem armazéns nas fazendas é importante.

O governo inicia uma experiência neste ano na oferta de crédito. Os produtores poderão optar por uma taxa fixa de juros ou por uma taxa pós-fixada. O volume de crédito na taxa pós deverá atingir o máximo de 5%.

Parte dos produtores entendem, no entanto, que um dos programas que deveriam ser melhorados pelo governo é o de seguro rural.

A participação privada vem crescendo, principalmente devido à pouca disponibilidade de recursos do governo, mas o país ainda não criou condições para um crescimento da chamada indústria de seguros. Um grupo convocado pelo próprio governo para avaliar as condições do setor chegou à conclusão de que o país necessita de pelo menos R$ 1,2 bilhão no setor de seguros.

Em 2017, o total de prêmios pagos pelos produtores chegou a R$ 1,8 bilhão.

 

Fonte: Folha de São Paulo adaptado pela IEG FNP

Compartilhe:

Índice

Consultoria
Projetos que englobam aspectos socioeconômicos, mercadológicos, técnicos e comerciais da atividade agropecuária.
Business Intelligence
Estudos de pesquisas de mercado, análises setoriais e competitivas.
Palestras
Confira as últimas apresentações dos analistas da Informa Economics FNP sobre as diversas áreas e segmentos do agronegócio.
Publicações
Anuários, boletins e relatórios em português e inglês.
Quem Somos | Pecuária | Grãos | Açúcar/Etanol | Terras | Insumos | Anualpec | Agrianual | Imprensa | Consultoria | Business Intelligence | Palestras | Publicações

Informa Economics IEG | FNP

Rua Bela Cintra, 967, 11º. Andar - CEP: 01415-000 São Paulo/SP - Brasil
Tel.: + 55 11 4504-1414 / 3017-6800 Fax: + 55 11 4504-1411